Reforma & Construção

Antes de construir ou reformar

Veja algumas dicas de primeiros passos antes de começar um projeto de construção ou de reformulação de um espaço físico. Buscar profissionais certos e diferentes ferramentas pode ajudar em decisões importantes nessa hora

Por Lua Santos

A decisão de construir ou reformar pode ser algo que demora a ser tomada. Afinal, muita gente associa obra a dor de cabeça, barulho e muita poeira. Porém, com certo planejamento, é possível mudar a casa sem enlouquecer com isso. De acordo com a engenheira civil Tatiana Duarte, tudo começa com um profissional. “Antes de qualquer coisa, [é preciso] procurar um profissional que tenha registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) para regularizar a obra, retirar o alvará de construção e, após a obra, o Habite-se, ambos expedidos pela Prefeitura. Em seguida procurar um engenheiro civil e retirar a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Depois disso é que poderá iniciar a obra.”

Decidida a obra, é hora de procurar meios de tornar tudo mais fácil. Existem ainda algumas ferramentas que podem auxiliar quem está pensando em reformar ou construir. Alguns aplicativos como o Mão na Roda e o Habitíssimo, por exemplo, ajudam a encontrar diferentes profissionais - desde engenheiros e arquitetos a eletricistas e pedreiros - e oferecem diferentes orçamentos. Já sites como o Click Reforma (www.clickreforma.com.br) trazem diferentes ferramentas que auxiliam a calcular a quantidade de material que será necessária para realizar o projeto dentre outras. Assim, você evita comprar a mais, economiza e ainda evita o desperdício.

Entretanto, na hora de investir nos materiais ou nos prestadores de serviços, é importante não levar em conta apenas aquele que é mais barato. Avalie o custo-benefício de tudo, afinal, um profissional que cobre mais caro pode oferecer mais serviços agregados e a garantia de um bom resultado assim como um material com um custo um pouco maior pode trazer mais qualidade e durabilidade ao projeto.

E uma vez escolhido o profissional, não se esqueça de formalizar tudo em contratos. Acordos feitos “de boca” são mais difíceis de serem cobrados caso alguma coisa não saia como o planejado. Portanto, prazos, custos, condições de trabalho, serviços contratados e formas de pagamento devem estar devidamente descritos e formalizados contratualmente. Na dúvida, contrate uma empreiteira.
Além desses fatores, Tatiana ressalta ainda outros seis aspectos que precisam ser observados ao se realizar uma reforma ou construção:

1.Utilizar materiais de boa qualidade, pois interferem no andamento da obra;

2.Contratar profissionais capacitados para a função;

3.Atender as normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT);

4.Manter o cronograma da obra, seguindo os prazos da obra;

5.Observar sempre o uso de equipamento de segurança;

6.E, por fim, apreciar a arte da reforma ou da construção.

De olho na obra

Uma vez que se começa a construir ou reformar, é importante ficar atento a aspectos ligados a partes específicas da construção, tais como alvenaria e pintura

Por Lua Santos

Seja apenas um cômodo da casa ou o apartamento inteiro, reformar ou construir requer um passo a passo básico que deve ser sempre seguido. Para começar, contratar um profissional especializado - seja engenheiro ou arquiteto - é imprescindível. A partir disso, é importante ainda cumprir três requisitos básicos: “A primeira etapa da construção é você ter em mãos o projeto. Você tem que ter o projeto, depois tem que ter uma equipe definida e ter em mãos todas as licenças para a construção. São esses os três pré-requisitos [para uma obra]”, destaca a engenheira civil Ivelise Fracalossi.

Dentro de cada uma dessas partes há uma infinidade de coisas a serem observadas. Então, confira a seguir o que observar em cada parte de uma obra:

Alvenaria

É necessário observar, dentro do projeto, quais os materiais que serão utilizados. Qual será o tipo de tijolo e que revestimento será utilizado. “Com base nisso, escolhemos os acabamentos”, comenta a engenheira, que também afirma que, nessa etapa da obra, a relação entre bom profissional e tempo de execução está alinhada.

Partes hidráulica e elétrica

Ivelise ressalta que, apesar de serem aparentemente distintas, essas duas também são bem parecidas. “Ambas têm que ter os projetos bem definidos, com o material todo especificado e devem ser seguidas fielmente”. O importante é, antes de começar, verificar com as fornecedoras - Cagece e Enel, no caso de Fortaleza - onde estão os pontos de distribuição mais próximos para, a partir de então, puxar um ponto para a obra.

Pintura

É preciso determinar, antes, quais as superfícies serão pintadas. Se paredes, portas, áreas internas ou externas. “Porque portas recebem pintura a óleo, se for parede, é outro tipo de pintura”, explica Ivelise. Definido o que será pintado, é possível calcular quantas demãos serão necessárias a fim de calcular a quantidade de tinta.

A engenheira ressalta ainda a importância de contratar um profissional certificado para gerenciar todas essas partes da obra. “Existem muitos pedreiros tão bons quanto engenheiros construtores. Mas o problema está na responsabilidade. Qualquer profissional com diploma tem que tirar a famosa ART [Anotação de Responsabilidade Técnica]. Então, qualquer problema que venha a ter em uma obra, desde a pintura, caída de um reboco, na alvenaria, um incêndio, tudo o que acontecer terá um engenheiro para responder perante a lei.”

Como alcançar a otimização máxima

Na hora de reformar ou construir é importante ficar atento sobre a quantidade de área do ambiente

Por Alice Falcão

Um dos pontos de maior importância na decoração da casa é o aproveitamento do espaço. O ambiente pode oferecer muitos ou poucos metros quadrados, você precisa ficar atento a quantidade de espaço que pode utilizar. A arquiteta, Johanna Chacon e a designer de interiores, Nara Maia afirmam que antes de tudo deve-se aliar função à estética e também listar as necessidades dos usuários para trazer satisfação e bem-estar, atendendo às finalidades que o ambiente se destina.

“O bom aproveitamento dos espaços, ou até mesmo a "otimização máxima" tão desejada, especialmente em espaços pequenos, com harmonia visual e conforto, depende de escolhas acertadas para o mobiliário, paletas de cores e truques que podem proporcionar mais qualidade a quem utiliza os ambientes. Por exemplo, uma boa iluminação é essencial se aplicada de forma técnica e direcionada, usando certos tons e criando variadas atmosferas, o que torna o ambiente mais dinâmico. Para isso, contar conte com consultorias com profissionais área de arquitetura e design de interiores que nortearão os seus desejos e o que realmente é ou não necessário. Planejar é a base para otimizar o espaço, o tempo e o dinheiro a serem empregados”, explicam as especialistas.

Pequenos ambientes

No caso de lugares com área muito limitada, existem alguns truques. “Um exemplo é o uso de espelhos e cores para passar a impressão de amplitude. Lembrando que um espelho mal empregado pode trazer uma sensação bastante desagradável. Outra dica boa é a multifunção, ou seja, o que chamamos de 2 em 1. A ideia é usar a criatividade e o bom gosto para aplicar mais de uma função ao mobiliário. Pode economizar espaços e ousar com objetos retráteis, que é quando a mobília só aparece quando for usada. Além disso, a criação de espaços integrados é uma tendência que chegou para ficar, como cozinha-sala-varanda, pois promove a sensação de amplitude visual e maior organização”, relatam Johanna e Nara.

Grandes espaços

Mesmo que parece ser mais fácil decorar um imóvel grande, é preciso ter certos cuidados. “Se a pessoa não souber otimizar os espaços, corre o risco de viver em um eterno showroom, se o layout e os materiais empregados não oferecerem acolhimento e integração. Algumas pessoas, por terem sempre a impressão de que não lhes falta espaço, acabam acumulando objetos mais do que necessitam. Lembre-se que menos é mais, procure uma identidade e uma linguagem harmônica entre as mobílias, adornos, cores e tudo que envolve a atmosfera a qual se destinam. Muitas vezes o emprego de cores certas já pode tornar o ambiente mais aconchegante”, esclarecem as profissionais de arquitetura e design de interiores.

O efeito das cores em ambientes

Através da psicologia das cores sabemos que elas influenciam em aspectos físicos, mental e emocional. Embora cada um tenha uma reação diferente em relação a cor, alguns sentimentos são gerados por certas tonalidades


Capa Flip

Reforma e Construção

Acesse a versão impressa.

Experimente anunciar GRÁTIS

Anunciar pelo site ANUNCIAR

ou

Por telefone 85 3254.1010