Os cuidados com os fogos de artifício

Além dos básicos, como evitar manuseá-los sob efeito de bebidas alcoólicas, deve-se atentar para detalhes na compra e no armazenamento

O relógio marca meia noite e a virada do ano é concretizada com as primeiras explosões dos fogos de artifício, tradição vista por todos os continentes. São bonitos no céu, mas podem ser perigosos no solo. Assim, é importante que se tome alguns cuidados na compra, no armazenamento e no manuseio para que a festa não seja interrompida com acidentes e que 2018 comece de forma segura.


Orientações

1. Adquira fogos de artifícios apenas em lojas certificadas pelo Corpo de Bombeiros. Nesses locais, é possível receber informações do uso adequado do equipamento. Não compre de ambulantes em semáforos, porque não se sabe a procedência.

2. É importante que o manuseio dos artefatos seja feito de acordo com o público classificado na caixa. Classe A é voltada para crianças; classe B, para adolescentes; classe C, para maiores de 18 anos e classe D, apenas para profissionais. Crianças e adolescentes devem sempre estar supervisionados por adultos.

3. Após a compra, evite locais úmidos para armazenar o material e não danificá-lo.

4. A média de validade é de 5 anos. Confira no produto se ainda está no período útil para se certificar que as chances de falha são mínimas. Caso seja utilizado fogos de artifícios ultrapassados, é possível que os fogos cheguem ao solo ainda queimando e não se dissipem no ar, como é o esperado.

5. A distância entre o corpo e o equipamento é importante para evitar queimaduras caso os fogos não se dissipem. O rojão, por exemplo, recomenda-se que ele seja preso em um cabo de vassoura. Já as baterias devem ser apoiadas em tijolos ou pedras para ter a certeza que o equipamento não vai deitar após o disparo.

6. Em caso de queimaduras, evite produtos caseiros, lave com água fria e vá ao hospital.

Point do Safadão

Rancho do Poço reúne música boa, excelente gastronomia no coração da Maraponga. Restaurante é parceria entre familiares do cantor Wesley Safadão

Funcionando desde o dia 30 de maio deste ano, o Rancho do Poço é destino certo para quem deseja curtir boa comida e boa música no bairro Maraponga. Picanha, carne de sol, batata recheada e feijão verde são algumas das opções disponíveis na casa que funciona das 11h às 2 horas da madrugada, de segunda a segunda.
O estabelecimento carrega parceria da família do cantor cearense Wesley Safadão e, sempre às quintas, tem apresentações de artistas como Felipe Silva e banda Selfie. Além de Watila Safadão, irmão do forrozeiro, o Rancho do Poço é administrado pelos sócios Décio Barros Feijão e Paulo Queiroz.
 "São amigos, filhos da Maraponga, que tinham o desejo de trazer ao bairro o que já existia na parte Aldeota da cidade. A gente se conhece desde a infância, ficamos amigos do Wesley e do Watila, e juntamos a vontade de ter esse negócio", diz Décio.
As apresentações sertanejas também ocorrem quinzenalmente aos domingos, em happy hour especial, com mesmo preço do couvert das quintas:  R$ 10.  O projeto da casa é trazer, nos próximos meses, bandas sertanejas do Mato Grosso.
A estrutura do Rancho, como nome já indica, remete ao clima de haras e vaquejada. Foi lá que o clipe "Alô, Dono do Bar", de Wesley Safadão e Devinho Novaes, foi gravado. Durante a semana, o almoço executivo custa apenas R$ 24,90, com direito ainda a entrada (batata frita, feijão verde ou salada) e sobremesa (pudim, torta ou mini cocada).
“Hoje, o rancho é conhecido em Fortaleza como um lugar de gente bonita e preço justo. E qualidade não poderia faltar tendo o nome do Wesley no meio", avisa o sócio.
No catálogo de bebidas, a variedade é grande. Há marcas nacionais e internacionais de cervejas, além de drinks. O carro-forte, a Caipifruta, custa a partir de R$ 15, 90. As cervejas são vendidas por R$ 9,90 (preço inicial).

 

Serviço
Rancho do Poço - Comes & Bebes
Rua Oscar Benevides, 90 - Maraponga
Telefone: (85) 8755.2433

Como escolher o melhor vinho?

Saber harmonizar o vinho com a comida é garantia de uma explosão de sabor

A refeição perfeita, muitas vezes, depende da combinação certa com um bom vinho. Harmonizar o sabor da comida com a delicadeza de cada vinho é essencial, ainda mais nesse período festivo de fim de ano. Pratos mais gordurosos exigem vinhos mais ácidos, enquanto os alimentos mais delicados harmonizam com vinhos de sabor mais leve. É o que ensina o sommelier Luiz Diogo, da Opção Distribuidora.
Ingredientes defumados exigem a bebida mais forte, mas as pessoas podem conseguir a combinação ideal seguindo algumas dicas. "As sensações aromáticas são muito particulares, a memória gustativa da gente vem desde a infância", explica ele.
Melhores duplas
O vinho branco combina com refeições mais leves, a base de frutos do mar ou compostas por carnes brancas. Já o vinho tinto se adequa ao almoço ou jantar com carnes vermelhas. "Numa região de clima quente, sempre indico o Malbec, que tem toque aveludado e uma acidez que limpa a boca, tira a gordura", diz Diogo.
As refeições com massas podem ser combinados tanto com o vinho branco quanto com o tinto, dependendo do molho escolhido. Aquelas à base de molho branco combinam justamente com um bom vinho branco. Molhos bolonhesas vão bem com tintos italianos, por exemplo. "Você nunca erra na harmonia, quanto mais claro (o prato), sirva com o vinho branco. Mais forte e temperado, vinho tinto", afirma o sommelier. Um fondue de queijo, por exemplo, vai bem com um vinho branco.
Os embutidos (presuntos mais finos) também harmonizam com vinhos brancos, mas carnes cozidas com molho próprio combinam com tinto encorpado e envelhecido. Peixe não deve ser combinado com tinto para não anular os sabores. Camarões vão bem com vinhos brancos. Chardonnay, sauvignon blanc e torrontés acompanham bem as massas combinadas com frutos do mar.
Sobremesas
Para as sobremesas, a recomendação é de vinhos com gosto mais doce; um chocolate amargo combina com um porto. Quando a sobremesa é mais doce que o vinho, melhor não tentar combiná-los.
Temperatura e taça
As taças de vinho branco, conforme Diogo, são menores que as de água. Para tintos, utilize as taças com bordo maior. Em relação à temperatura, o indicado é, respectivamente, 8 e 18 °C para branco e tinto. No entanto, esses valores tem que ser adequados ao clima.
"Estamos (Fortaleza) em uma clima quente, então geralmente o branco é servido a 6°C para ganhar calor naturalmente na mesa. Aqui não vamos ter a temperatura de 18 °C (para tinto), então servimos mais gelado, a 14 ou 15 °C até ir diminuindo. O gelo atrapalha o vinho, porque inibe as papilas gustativas", frisa Diogo.

 

Melhores pedidas
O sommelier Luiz Diogo listou as melhores marcas de cada País

 

Brasil
Casa Valduga (Espumante 130 Blanc de Noir); Pizzato Vinhas & Vinhos (DNA 99 - Merlot )

 

Argentina
Catena Zapata; Doña Paula; Bodegas Tikal (Alma Negra Mistério)

 

Chile
Viña Montes; Viña Carmen desde 1850; Marnier Lapostolle; Concha y Toro (Don Melchor); Viña Tabalí; Viña Tarapacá

Portugal
Adega Cartuxa; Herdade do Esporão; Cortes de Cima; Mouchão; Dona Maria JB; Quinta do Vallado; Bacalhoa; Quinta do Carmo

 

França
 Don Perignon; Krug; Ruinart; Moët & Chandon; Louis Roederer (Cristal); Laurent Perrier

 

Itália
Biondi Santi; Ângelo Gaja (Ca’Marcanda Promis); Marchesi Antinori; Campagnola

 

Nova  Zelândia
Marlborough - Cloudy Bay

Cinco motivos pelos quais o açaí é saudável

O fruto é altamente energético e pode ser usado para prevenir doenças, mas também ser aliado na busca por emagrecimento e alimentação saudável, desde que com acompanhamento de um especialista e rotina de exercícios físicos

1.    O açaí não é muito calórico
O açaí é altamente energética, mas isso não significa que seja muito calórico, desde que puro. "Para se ter uma noção, 100g de açaí contém em média 90 Kcal. Seu potencial energético vem do seu teor de gordura", explica a nutricionista Manuela Ribeiro.

 

2.    O açaí é rico em vitaminas
No açaí, estão presentes proteínas; fibras; lipídios; minerais, como manganês, cobre, boro e cromo. Manuela Ribeiro lista ainda: vitaminas do complexo B (importantes para o metabolismo energético mitocondrial), vitamina E (antioxidante) e potássio (auxilia no processo de contração muscular).

 

3.    O açaí pode ser consumido antes e depois dos treinos
O consumo do açaí nos treino varia de acordo com o objetivo de cada pessoas, conforme Manuela Ribeiro.
Leandro Câmara, empresário da Açailândia, acredita que por ser saudável, o açaí é fitness. "Bom para as pessoas que praticam esportes e exercícios em academia, porque é fonte de energia", afirma ele.

 

4.    O açaí pode ser um acelerador de metabolismo
Manuela Ribeiro ensina quais alimentos podem ser combinados ao açaí para torná-lo um acelerador de metabolismo: frutas, guaraná em pó (evitar o xarope de guaraná), canela em pó, gengibre em pó. Ela frisa que, caso o objetivo seja esse, deve-se evitar doces, Caldas e chocolates.

 

5.    O açaí previne doenças
O açaí é rico em ômega-9 e antocianinas, podendo ser aliado na prevenção de doenças como Alzheimer e câncer. Leandro ainda destaca que, por ser antioxidante, o açaí melhora a circulação sanguínea e faz bem para o coração.  Também pode ser é consumido para prevenir o envelhecimento, segundo estudos.

Capa Flip

Pop Festas

Acesse a versão impressa.

Quer Anunciar?

Anunciar pelo site ANUNCIAR

ou

Por telefone 85 3254.1010